quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Jornal Bacial

leito

Do latim lectu, s. m. - parte do rio normalmente coberta pela água; terreno coberto pelas águas quando não influenciado por cheias, inundações ou tempestades.

  • Leito aparente - é o sulco por onde normalmente correm as águas e os materiais que elas transportam.
  • Leito de estiagem ou menor - corresponde à zona ocupada por uma quantidade menor de água, como acontece, por exemplo, durante o Verão.
  • Leito de inundação - é o espaço do vale que é inundável em época de cheias. Uma inundação ocorre quando o nível das águas ultrapassa os limites do leito aparente, submergindo a área circundante - planície de inundação.

As cheias são fenómenos naturais extremos ou temporários, provocados por precipitações de elevada intensidade. O excesso de água faz aumentar o caudal dos cursos, com extravase do leito normal e a inundação das áreas vizinhas. A elevação do leito normal de um rio e consequente inundação das margens pode trazer elevados prejuízos materiais e humanos.

Segundo a Organização Meteorológica Mundial, os desastres provocados por cheias têm vindo a aumentar, como consequência, principalmente, da expansão urbana em planícies aluviais. A ocupação humana destas áreas tem-se reflectido no agravamento dos danos provocados por cheias, que mesmo em bacias regularizadas, continuam a ocorrer e a provocar extensas inundações, com perdas humanas e grandes prejuízos.
Ao longo das últimas décadas, as tentativas de minimização dos efeitos desses acontecimentos extremos têm-se limitado a intervenções técnicas sobre as linhas de água (barragens, açudes, diques), esquecendo completamente a dinâmica social e geográfica das áreas susceptíveis de inundação.

Adaptado de http://www.ualg.pt/5cigpa/comunicacoes/artigo_final.doc

Ora, ainda esta semana assistiu-se a violentas cheias na capital.

As cheias de segunda-feira na Grande Lisboa causaram um morto, dois desaparecidos, cinco feridos, 179 desalojados e 122 deslocados. De acordo com a Autoridade Nacional de Protecção Civil no Distrito de Lisboa as cheias mobilizaram 296 bombeiros, 102 viaturas e três botes.

No Distrito de Setúbal as inundações obrigaram a uma evacuação e ao encerramento de todas as escolas do Concelho, por precaução. Em Sines o abastecimento de água foi cortado devido ao deslizamento de terras. No Distrito de Setúbal foram mobilizados 520 bombeiros e 180 veículos. A circulação de comboios esteve parcialmente cortada na Linha do Norte, na Póvoa de Santa Iria, entre as 08h00 e as 10h30, e na linha do Sado, até meio da tarde. Em Lisboa o Metropolitano de Lisboa foi obrigado a encerrar a estação de Sete Rios devido à entrada de água pelos acessos e escadarias da gare. A luz esteve cortada em algumas zonas de Lisboa, Cascais e Loures devido a inundações em subestações e postes de transformação de electricidade. Na região da Grande Lisboa, há 20 anos que não chovia tanto e em tão pouco tempo.

Buscas retomadas na Ribeira do Jamor

Trinta bombeiros e seis equipas cinotécnicas retomaram hoje as buscas para encontrar o corpo da mulher desaparecida, ontem, em Belas, após a queda do automóvel em que seguia. A mulher era uma das ocupantes do veículo que cerca das 07h00 da manhã de segunda-feira caiu na ribeira. Já ontem, cerca das 12h00, os bombeiros tinham resgatado a primeira vítima que se encontrava no interior da viatura.

Retirado de http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=327376&visual=26&tema=1


A brincar, a brincar... Dizem-se coisas a sério.

Assim, de modo a prevenir a ocorrência de cheias, o Homem deve adoptar algumas medidas:

  • Ordenar e controlar as acções humanas nos leitos de cheias;
  • Implementar medidas que impeçam a construção e a urbanização de potenciais zonas de cheias;
  • Construir sistemas integrados de regularização dos cursos de água com a construção de barragens.

Outras fontes: D. Guerner, G. Paula, R. Paulo, Geologia 11, Areal Editores, Perafita, 2004 e S. Amparo, G. Fernanda, S. Maria, M. Almira, B. Ludovina e F. José, Terra, Universo de Vida, Porto Editora, Porto, 2007

10 comentários:

Bacias Hidrográficas Grupo A1 disse...

Grandes Actores que nós somos, realmente foi uma diversão fazer este post!

Uma excelente ideia do Grupo ;)

Rui Ferraz nº22 11ºA

SG disse...

Gostei! É verdade a brincar, a brincar…
O que deveria ter sido feito para reduzir as consequências das inundações de 2ª feira, dia 18 de Janeiro, na região de Lisboa? Que comportamentos adoptar para minimizar as perdas e proteger as propriedades?
Continuação de bom trabalho.
A prof, Sandra Garcia
PS: a carreira de actor/actriz não é de excluir das vossas perspectivas futuras ;)

Bacias Hidrográficas Grupo A1 disse...

Queria avisar a senhora professora Sandra Garcia (e na medida de defender o nosso trabalho) que no comentário também se encontra medidas a tomar para prevenir as situações ocorridas. (O post nao era só o filme xP)

Rui Ferraz A1

Anónimo disse...

Bem... desculpem a pieguice mas não posso deixar de me emocionar de ver 4 antigos alunos nestas andanças!! Que agradável surpresa: Luis, Rui, Ana e Maria João! Continuam os mesmos ... parabéns!!!!
Foi uma grande felicidade voltar a encontrá-los!! FORÇA!
Adorei o jornal e a ideia está um espanto. Não custa nada ... só custa arrancar ... agora aposto que nunca mais param!

A prof de Inglês( de há uns anitos atrás... )
Ana Paula Carlão

Melina disse...

:D esta muito original vossa ideia, como sempre muito criativos.
Continuem assim ;)

Melina

Márcio Santos disse...

Bem... Luís, Rui, Ana e Maria João, serão estes os futuros jornalistas da nossa televisão?
Estão sem dúvida de parabéns, não só pelo vídeo mas também pelo post em si. Reparo ainda que tiveram o cuidado de colocar a fonte de onde retiraram a informação que não é vossa. Isso revela consciência pelo trabalho que estão a desenvolver.
Parabéns aos actores, e ao editor de imagem que fez uma bela composição.
Vou continuar a seguir atentamente o vosso trabalho.

bacias hidrograficas grupo b1 disse...

belo jornal que tendes aqui
e muita informaçao
bom blog força nisso

maria joão disse...

Stora Ana Paula Carlão! Há quanto tempo! Aquele LOOK com olhos nos O's! Ainda hoje os faço. Ahahaha :)
Muito obrigada e um beijinho *

Anónimo disse...

Ideia original! :D

mto gira a gravação.

katia T.,A2

Anónimo disse...

Estive a "espreitar" o vosso trabalho e gostei do que vi.
Continuem!
Podem-me fazer um favor?
Queria que dessem um beijinho muito grande à vossa professora Sandra Garcia, das colegas de Oliveira do Hospital. Nós temos muitas saudades dela.
Cristina Nobre (CN)